Como vender pela Internet: tudo o que você precisa saber

Muitas pessoas querem começar um novo negócio ou expandir as vendas da sua loja, e uma das primeiras dúvidas que surgem é: como vender pela Internet? De fato, as vendas online são uma excelente opção para quem quer começar seu próprio empreendimento. Ainda assim, uma expressiva fatia do mercado está fora da Internet. Isso significa que diversos negócios não estão aproveitando a oportunidade da modalidade de comércio que mais cresce no país.

Entretanto, diferente do que muita gente diz por aí, iniciar um empreendimento digital não é tão fácil e o sucesso não vem do dia para a noite. É necessário ter planejamento, paciência e seguir boas práticas para alcançar sucesso no meio de vendas online. Não existe um milagre que fará sua loja vender rios de dinheiro sem esforço.

Se você fizer um trabalho sério e estruturado, vender pela Internet não será um desafio impossível e você poderá alcançar objetivos como ter mais tempo para sua família, viajar mais, ganhar mais dinheiro etc.

Para te ajudar a conquistar a alcançar mais resultados, preparamos este superguia para eliminar todas as suas dúvidas sobre como vender pela Internet. Continue a leitura e confira as nossas dicas!

1. Como vender pela Internet

Antes de começarmos a falar sobre o processo de vendas na Internet, vale uma dica para aqueles que ainda enxergam tudo isso com desconfiança: varejo físico e online vivem curvas opostas. Enquanto o primeiro vai da estagnação à queda, as vendas online continuam crescendo. Dito isso, ignorar a importância e as possiblidades de vender pela Internet é perder dinheiro para sua empresa.

Para vender online, você não precisa ser um especialista em e-commerce, ter todo o conhecimento do mundo sobre informática, nem dominar todos os segredos das redes sociais. Você precisa é de dedicação e disciplina para começar.

Você precisará decidir o que e para quem venderá suas soluções. Após fazer seu primeiro planejamento, englobando os pontos citados acima e questões financeiras, você deve também pensar na plataforma de vendas.

2. Diferença entre vender pela Internet e vender off-line

Muitos empreendedores podem falhar nas vendas online ao tentarem vender do mesmo modo que fariam isso no varejo físico. Isso porque existem diferenças entre os dois modelos e trabalhar a venda da maneira correta pode ser um detalhe que fará sua loja virtual ter muito sucesso ou fracassar. Só de buscar conhecimento e ler este artigo, você estará na frente de muitas pessoas que querem vender seus produtos ou serviços na Internet.

Muitas vezes, em uma loja física, há a presença de vendedores que podem explicar sobre a funcionalidade, material e outros dados do produto. Além, é claro, de o cliente poder tocar e olhar a mercadoria que pode ser comprada. Isso não acontece quando falamos de uma venda pela Internet, seja por uma loja virtual, seja por outros meios. Por isso, é necessário trabalhar uma boa descrição, ter boas fotos e oferecer uma visão 360º do produto.

Outra diferença bem significativa está no alcance da sua empresa e possibilidades de venda. Vender pela Internet aumenta exponencialmente o raio de vendas do seu negócio, enquanto uma loja física atende basicamente a região em que está localizada. Dessa forma, as vendas online podem ser uma grande oportunidade de nacionalizar a sua marca.

3. Benefícios de vender pela Internet

Com certeza, este tópico vale um artigo à parte. Quando comparamos a venda pela Internet com a venda no varejo tradicional, há grandes chances de se chegar ao cliente com um custo bem menor, além de ter despesas mais baixas do que ao ter um local físico.

Além disso, a disponibilidade de uma loja virtual, por exemplo, é de 24 horas por dia e 7 dias por semana. Enquanto isso, uma loja física tem horário para abrir e fechar.  Sem contar que estar online significa poder fazer negócios com clientes de qualquer lugar do Brasil, alcançando novos mercados.

Efetuar vendas online traz outra grande vantagem: ser encontrado por potenciais clientes. Nesse sentido, o internauta faz pesquisas em buscadores como o Google e Bing constantemente, usando termos ou palavras que remetem ao produto ou serviço que você vende e, com isso, ele passa a conhecer sua empresa.

4. O comportamento do consumidor online

O mundo mudou, a forma de fazer negócios também e não seria diferente com o comportamento dos consumidores. Com o advento da internet, o consumidor passou a ter acesso a informações e isso alterou todo o processo de compra.

O consumidor online acessa redes sociais, lê blogs, compartilha e pede informações aos amigos, pesquisa, compara e realiza muitas outras ações antes de comprar um produto ou serviço. Em outras palavras, ele está mais consciente do que quer. Por isso, é extremamente importante se relacionar com esse consumidor de maneira honesta e transparente.

Os smartphones e tablets passaram a fazer parte do dia a dia das pessoas e auxiliam em tantas tarefas que hoje fica difícil imaginar uma vida sem eles. O avanço dos dispositivos móveis não para e está influenciando de forma direta o comportamento de seus usuários, especialmente dos consumidores. Para eles, pesquisar informações sobre produtos e serviços em qualquer lugar e a qualquer hora se tornou prático e recorrente.

Seja como fonte de consulta de preços, comparações, forma de saber opiniões de outros consumidores ou até mesmo como meio de procurar um estabelecimento e suas possíveis rotas antes de se dirigir à loja física, recorrer ao celular antes de finalizar uma compra tem se tornado um hábito.

Assim, compras realizadas por meio de dispositivos móveis também estão crescendo. Diante de toda essa mudança de comportamento do consumidor, é preciso que as empresas acompanhem as novas tendências do mercado e se adaptem a elas para que possam oferecer a esses consumidores cada vez mais conectados uma experiência positiva quando entrarem em contato com suas marcas por meios como smartphones ou tablets.

Nessa era tecnológica em que vivemos, uma empresa que quer ganhar maior visibilidade e lucrar deve sempre buscar melhorar os seus resultados no cenário digital. Quanto melhor for o relacionamento da empresa com o cliente e sua experiência — oferecendo o que ele quer, da maneira e na hora que ele precisa —, maior será a possibilidade de conversões de vendas.

5. Maneiras de vender pela Internet

Quando o assunto é gerar oportunidades, o meio digital é um dos espaços mais democráticos que existe e não vender pela Internet é perder dinheiro. Existem, basicamente, dois casos comuns quando falamos sobre vender utilizando a internet:

  1. Pessoas que estão procurando vender um produto — seja novo, seja usado;
  2. Pessoas que querem iniciar um negócio ou abrir um novo canal de vendas para sua empresa.

Já que os objetivos são diferentes, vamos falar de cada um separadamente, ok?

5.1. Vendendo itens usados

Uma forma de garantir aquela renda extra é vender produtos usados pela Internet. Geralmente, vendedores que se encaixam nessa categoria recorrem a sites de vendas como o Mercado Livre e o OLX. O primeiro funciona como um grande intermediador entre vendedor e comprador, enquanto o segundo apenas faz a ponte entre os vendedores e interessados no produto.

5.2. Vendendo produtos novos

O Mercado Livre também é uma maneira de vender produtos novos, apesar de ser mais conhecido pela venda de produtos usados. Outra maneira de vender os produtos da sua empresa é utilizando marketplaces. Vender por meio deles pode te ajudar a avaliar a demanda para seu produto, antes de investir em uma loja virtual.

Utilizar as redes sociais para vender produtos também é uma boa opção. Você pode, por exemplo, criar um perfil no Instagram e divulgar seus produtos oferecendo mais informações por mensagem privada. Nessas mensagens, você pode enviar as informações para pagamento. Apesar de útil, vender pela Internet dessa maneira acaba sendo burocrático e mais trabalhoso para o vendedor.

5.3. Criando um negócio próprio ou novo canal de vendas

Se o seu objetivo for entrar de vez nesse universo dos negócios digitais, o processo é diferente. Nesse ponto, o mais indicado é criar uma loja virtual. Até pouco tempo atrás, optar por esse caminho era bem mais complexo do que é hoje. Sabendo escolher seus fornecedores, você terá o suporte necessário para construir seu e-commerce e aumentar suas vendas ou iniciar sua operação online.

6. Como vender pela Internet com uma loja virtual

Pense bem: seu objetivo é iniciar uma nova atividade e expandir suas vendas, ou seja, não faz sentido abrir mão de uma estrutura profissional que possibilite a escalabilidade do seu negócio. Vender pela Internet com uma loja virtual pode levar seu negócio para outro nível, não limitando seu alcance a somente uma cidade ou estado, como seria o caso de uma loja física.

Hoje em dia, você encontra plataformas para construção de lojas virtuais bem amigáveis, o que facilita bastante o processo de criação de uma nova loja virtual. Isso, claro, sem mencionar que existe uma infinidade de ferramentas para ajudar na gestão do seu negócio.

Entretanto, montar sua loja virtual não é a parte mais complicada para quem deseja um novo canal de vendas. O fator que terminará o sucesso ou não do e-commerce é trabalhar adequadamente o planejamento estratégico do seu comércio eletrônico.

6.1. Conheça seu público-alvo

Conhecer seu público-alvo é algo extremamente importante para vender pela Internet. O público-alvo é formado por um grupo específico de consumidores que você identifica como pessoas interessadas pelos produtos da sua marca.

Você pode agrupá-las em níveis baseados em semelhanças, como histórico de compras, cargos de trabalho, indústria ou necessidades. Esse grupo é o que mais se beneficiará do seu produto ou serviço.

Identificar as necessidades do seu público-alvo ajudará você a criar soluções e estratégias de marketing que atinjam pessoas com maiores chances de comprarem seus produtos, gerando dupla economia ― de tempo e dinheiro investidos.

Agora já sabe sobre a importância de alcançar seu público-alvo, como você descobre quem são eles? Obter dados demográficos dos seus clientes atuais é um bom começo para encontrar seu público-alvo. Um perfil de cliente ideal pode incluir as seguintes informações:

  • gênero;
  • estado civil;
  • ocupação;
  • hobbies;
  • hábitos de compra;
  • publicações ou materiais de leitura aos quais se inscrevem.

Com esses dados em mãos, você pode alinhar sua loja virtual e o conteúdo produzido para fornecer informações que os clientes considerem úteis e relevantes.

6.2. Defina seu nicho de mercado

Independentemente se você trabalha com produtos de fabricação própria ou apenas os revende, é necessário atentar ao nicho de mercado em que pretende atuar. Não existe uma fórmula mágica, mas negócios de sucesso tem um foco de mercado bem definido. Por mais tentador que pareça, não vale a pena atirar para todos os lados. Por isso, mais uma vez, é importante reunir o máximo de informações possíveis sobre seu público-alvo e definir o nicho de mercado que você pretende atender.

Com essas informações, você terá dados fundamentais para elaborar seu planejamento, apontando os objetivos de negócios que almeja, em quanto tempo e o quanto precisará investir para que o sucesso seja alcançado. Descobrir quais necessidades não estão sendo atendidas em mercados maiores e identificar se essas pessoas estariam dispostas a pagar pelo seu produto é o grande segredo para encontrar um nicho de mercado de sucesso.

6.3. Escolha uma plataforma para montar sua loja virtual

Saber como escolher uma plataforma para loja virtual é um dos pontos mais importantes na elaboração de um projeto de e-commerce, uma vez que ela é responsável pelo funcionamento da sua loja virtual. Ao contrário do que é dito, não comece sua operação de e-commerce com qualquer plataforma para depois migrar para outra. Essa prática causa perdas significativas.

Então, a primeira dica é que você invista em uma solução que consiga atender às demandas atuais e futuras de seu e-commerce. Escolher uma plataforma para o e-commerce é uma grande responsabilidade. Para ajudá-lo nessa escolha, você vai conhecer neste tópico os principais pontos que devem ser avaliados no momento de decisão.

  • orçamento;
  • modelo;
  • suporte;
  • versão teste;
  • velocidade da plataforma;
  • projeção de vendas;
  • design responsivo;
  • customização;
  • integração;
  • métodos de pagamento.

Também é importante ficar atento se a plataforma escolhida oferece funcionalidades como:

  • campos para comentários e assinatura de newsletter;
  • recurso de review;
  • canais de atendimento ao cliente, como chats e tickets
  • certificado SSL e selos de segurança;
  • otimização para SEO.

Por fim, não se esqueça de que, quanto mais recursos disponíveis em sua plataforma de e-commerce, menos tempo você terá que investir em atividades operacionais.

6.4. Invista em marketing e divulgação

De nada adianta contratar a melhor plataforma do mundo, desenvolver o melhor layout, cadastrar produtos incríveis e sua loja virtual não ser acessada. Promover a loja, então, é extremamente importante. Depois que o seu e-commerce estiver no ar, não fique esperando que um cliente venha te encontrar milagrosamente. Nesse ponto, é fundamental pensar e criar ações que atraiam o público-alvo da sua loja, levando as pessoas até ela para que se tornem clientes.

Para alcançá-las, utilize as redes sociais. O Facebook, maior rede social atualmente, já tem mais de 2 bilhões de usuários, sendo que mais de 100 milhões deles são brasileiros. Esse já seria um bom motivo para criar uma página no Facebook para sua empresa.  Ah, vender pelo Instagram também é uma ótima opção para seu negócio. A rede social pode ser uma alternativa para você aumentar a visibilidade da marca, gerar tráfego qualificado para seu e-commerce e, consequentemente, gerar mais vendas.

Além das redes sociais, a Internet apresenta diversas possibilidades que podem ser usadas a seu favor. Por exemplo, você deve considerar a ideia de anunciar sua loja virtual em sites parceiros e a utilizar o poder dos links patrocinados, como Facebook Ads e Google Adwords.

De fato, as possibilidades do marketing digital são muitas. Tendo isso em vista, concentre-se em encontrar canais de divulgação que façam sentido para seu público, destacando sua marca e aproveitando melhor o seu orçamento de marketing.

7. Dicas de como começar a vender pela Internet

Como você viu ao longo do texto, o ato de vender pela Internet foi facilitado ao longo dos anos. Essa facilidade aliada ao à alta taxa de crescimento garante que você encontrará concorrência. Então, para se diferenciar de empresas concorrentes, separamos mais algumas dicas para você começar a vender online e se destacar!

7.1. Seja profissional

O comércio eletrônico no Brasil não tem mais espaço para amadores. Pensar em todos os aspectos do seu negócio ajudará a passar mais confiança para os visitantes da sua loja virtual. E ninguém consegue fazer tudo sozinho. Por isso, considere ter uma agência de marketing digital e uma plataforma de loja virtual como parceira do seu negócio. Assim, você consegue otimizar seu tempo para pensar produtos e processos da sua empresa.

7.2. Tenha um plano de negócios

Ter um bom plano de negócios te ajudará a pensar toda a estrutura que será necessária para que sua loja virtual tenha sucesso. Com ele, você poderá analisar o mercado em que pretende atuar, incluindo seus clientes, fornecedores e concorrentes. Também elaborará sua estratégia e tática de marketing para empresa, organizando o cronograma de ações para cada etapa de construção da loja e realizando o planejamento financeiro.

7.3. Crie a identidade da marca

Todo produto e empresa precisam ter uma identidade visual bem construída. Isso ajuda a transmitir mais confiança para o negócio, além de gerar conexão com seus clientes.  A identidade visual ajudará a comunicar os valores, objetivos e paixões da sua marca.

7.4. Crie uma loja virtual

Nada melhor do que ter seu próprio canal de vendas no ambiente digital, certo? Então, invista na sua loja virtual e elabore o layout respeitando a identidade visual da sua empresa.

7.5. Tenha uma loja virtual responsiva e pensa na usabilidade de sua loja

As compras via dispositivos móveis estão aumentando a cada dia. Portanto, é necessário que sua loja virtual se adapte às telas de diferentes dispositivos. Não se esqueça: o cliente precisa ter a melhor experiência de compra possível, ou seja, tudo precisa funcionar bem.

As páginas da sua loja virtual precisam apresentar de forma clara e objetiva os produtos, com conteúdo, imagens de qualidade e botões com CTAs claros. Isso tudo facilitará para que o visitante chegue até o checkout e se torne um cliente.

7.6. Facilite o atendimento

Além de ser regra disponibilizar telefone e e-mail para contato, essas informações ajudam a garantir que sua empresa existe, de fato. Além desses meios de comunicação, você pode disponibilizar chats em sua loja virtual para tirar qualquer dúvida que seu cliente tenha na hora de comprar. Um chat converterá em vendas e relacionamento com seus clientes.

7.7. Seja verdadeiro

Jamais prometa algo que não possa ser cumprido. O prazo de entrega, por exemplo, precisa ser real. Não prometa um prazo pequeno para atrair o cliente contando com exatidão de entrega do seu parceiro de logística. Você pode até prometer um prazo maior para evitar reclamações e garantir o efeito surpresa — quando o cliente recebe o pedido antes do esperado. O mesmo vale para as promessas de frete grátis e descontos. Se prometer, cumpra.

7.8. Não foque somente a venda

Geralmente, o consumidor não compra na primeira visita.  Por isso, é importante encontrar outras formas de converter o visitante em um lead. Oferecer conteúdo de qualidade pode ser de grande ajuda.  Assim, você terá a oportunidade de entrar em contato com o possível cliente via e-mail, por exemplo, e convidá-lo a visitar seu site novamente.

Como você pode ver nesse post, não faltam alternativas para que você possa vender seus produtos na internet. Dessa forma, você precisa avaliar quais opções — diante de tudo o que lhe foi apresentado — estão mais alinhadas com o perfil do seu negócio, tanto em questão de disponibilidade de recursos e funcionalidades quanto na estratégia de venda.

Em alguns casos, mais de uma opção pode ser útil, o que não é necessariamente um contratempo. Diversos lojistas atuam em canais diferentes ao mesmo tempo, ou seja, nada te impede de ter sua própria loja virtual e, ao mesmo tempo, manter uma estratégia de vendas por marketplaces. O ponto de atenção deve ser a gestão do negócio, garantindo que o cliente final não seja prejudicado por essas ações.

Agora que você já sabe tudo sobre como vender pela internet, está na hora de colocar a mão na massa! Veja aqui como criar seu site de vendas grátis e um passo a passo com 8 dicas de sucesso!

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário